domingo, 19 de agosto de 2012

Saiba quais atores morreram durante as filmagens



Por IG
Mortes no mundo do cinema sempre chamam a atenção e causam comoção.
Mas, quando isso acontece com um ator durante as gravações de um filme, o caso vira um verdadeiro desafio para estúdios e diretores.

Interromper a gravação do filme é uma saída, como aconteceu em "Something's Got to Give", quando Marilyn Monroe morreu devido a uma overdose de remédios, em 1962. Mesmo sem nunca ter sido lançado, a cena em que a atriz aparece nua na piscina ficou mundialmente famosa.

Outro caso que o filme foi abandonado é "Dark Blood", com River Phoenix, morto por overdose na noite de Halloween de 1993. Noventa por cento do filme já estava gravado, mas a solução foi encostar o material.

Mas o que se pode fazer para dar sequência às gravações? Vamos ver algumas soluções encontradas pelos produtores para colocar os longas no mercado.

Famoso por sua interpretação em "E o Vento Levou", Clark Gable sofreu um infarte fulminante durante as filmagens de "Os Desajustados". Comenta-se que o ataque cardíaco foi resultado de um cansativo dia de filmagem, ao ter se esforçado para gravar uma cena em que é arrastado por cavalos. Como o ator havia gravado quase todas suas cenas, o diretor utilizou apenas um dublê na conclusão do longa.

Também vítima de um cavalo, Roy Kinnear, famoso por viver o pai de Veruca na versão original de "A Fantástica Fábrica de Chocolate", morreu após cair do animal enquanto gravava uma das cenas de "A Volta dos Mosqueteiros". Um dublê completou seu trabalho.

O mundo do cinema viu ainda uma tragédia na mesma família. 20 anos separam as mortes de Bruce Lee e de seu filho Brandon Lee. O ícone das artes marciais morreu vítima de um AVC durante a produção de "Jogo da Morte". Para que o filme não ficasse inacabado um dublê gravou as cenas que faltavam.

Em 1993, no set de filmagem de "O Corvo", Brandon Lee foi baleado pelo que deveria ser um tiro de festim. As cenas restantes foram feitas por um dublê e o rosto do ator inserido digitalmente.

A tecnologia também foi aplicada para substituir Oliver Reed, que morreu após uma bebedeira em um pub da Ilha de Malta, onde o filme "Gladiador" era rodado. Como faltavam apenas três cenas, o diretor Ridley Scott recriou digitalmente o rosto do ator e o colocou no corpo de outro ator.

Embora estivesse pegando mais leve em seus hábitos alimentares e parado de fumar, o comediante John Candy morreu no México onde filmava "Dois Contra o Oeste", vítima de um ataque cardíaco.

O roteiro do filme foi reescrito evitando suas aparições. Quando não havia saída, usava-se um ator parecido. Teve até cena utilizada mais de uma vez.

Adaptar o filme à perda do ator foi a saída de "Saratoga", filme de 1937. A musa loira Jean Harlow foi abatida por uma infecção renal e morreu. Para continuar foram utilizados enquadramentos mais abertos e uma dublê.

Mas nem sempre o orçamento ajuda. Em "Plano 9 do Espaço Sideral", do diretor Ed Wood, Bela Lugosi morreu logo no início das filmagens. As poucas cenas do ator foram usadas e para completar sua participação, Wood chamou seu dentista para atuar como dublê. Mais alto e mais jovem que Lugosi, ele aparece escondido atrás da capa em algumas cenas.

Num caso mais recente, o ator Heath Ledger, famoso por viver o Coringa em "Batman – O Cavaleiro das Trevas", morreu aos 28 anos enquanto rodava "O Mundo Imaginário do Doutor Parnássus".

Aproveitando o clima onírico do filme, o personagem de Ledger ganhou três intérpretes de peso: Johnny Depp, amigo do diretor Terry Gilliam, com quem já havia trabalhado em "Medo e Delírio", Colin Farrell, amigo pessoal de Heath Ledger, e Jude Law, que já havia sido cotado para o papel.

Os três doaram seu cachê para a filha do ator. Essa foi a maneira encontrada pelo diretor Terry Gilliam de finalizar o filme e homenagear o ator.

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...